Gossip Girl - 7ª Temporada: Ep 01 - PILOTO



"Querida B, 
                      
Sei que esse tempo na Europa está sendo profissionalmente incrível pra você. Vi uma matéria sobre a Waldorf Designs France no New York Post semana passada. Você estava usando o bracelete de ouro branco que eu te dei antes da sua viagem. Eu sei que você deve estar mega ocupada, com o Chuck, com o Henry, com os desfiles, mas já faz um ano que você foi embora e eu não tenho com quem dividir as alegrias e frustrações de estar casada. Estou sufocando. Sinto sua falta. 
                      
Com amor, S."
                      

                      
Serena rolou o cursor e clicou em enviar. Era o quinto e-mail aquela semana, e mesmo que Blair raramente respondesse, escrever aliviava um pouco sua ansiedade. 
                      
- Serena? - Dan parou na porta, ainda esfregando os olhos - São três da manhã. Você não vem deitar?
                      
- Já estou indo! 
                      
Ela suspirou para a tela antes de fechar o computador e deixá-lo sobre a mesa de jantar. 
                      
xx
                      
O dia amanheceu quente em Manhattan. Pessoas passeavam com seus cachorros ou enfiavam a cabeça dos filhos dentro de bonés antes de levá-los para rua, só para terem as roupas manchadas de sorvete ou grama do Central Park. 
                      
Nate se espreguiçou na cama e sentiu o braço esbarrar em um outro corpo. Era a loira de olhos escuros que ele conhecera no bar do Hotel SoHo na noite passada, depois de assistir uma palestra chatíssima com os representantes da NY Spectator. 
                      
- Bom dia, Archibald! - ela murmurou preguiçosamente, sem se preocupar em cobrir os seios.
                      
Ele lembrava vagamente o nome dela e não arriscaria errar. Não era como se ela também não pudesse ter esquecido o nome dele, só era impossível. Nate era o atual dono da maior empresa de comunicação de Nova York. Qualquer um saberia seu nome.
                      
- Está com fome? - perguntou ela sugestivamente, tocando os seios nus em seu braço.
                      
- Eu estou... atrasado. - ele escapou do meio abraço e saiu da cama. - Eu como alguma coisa no caminho.
                      
A desconhecida bufou, puxando o lençol até o pescoço, emburrada. Quando Nate saiu do banho, ela já havia se vestido e ido embora. Ele estava mesmo cansado de relacionamentos vazios como aquele, mas elas simplesmente se prostravam aos seus pés - e algumas eram mais difíceis de se desvencilhar do que outras.
                      
Com o computador aberto, ele digitou algumas senhas e leu a primeira postagem do site, enquanto dava o nó na gravata.
                      
"Chuck Bass está de volta?
                      
A redação recebeu na manhã desta sexta-feira um e-mail, aparentemente do herdeiro das empresas Bass, e parece que Chuck e sua esposa Blair Waldorf-Bass, voltaram para casa.
                      
A veracidade da fonte não foi confirmada, porém o comunicado convida a todos para uma festa de recepção no Hotel Empire a partir das 22 horas de hoje. 
                      
Não conseguimos contato com os representantes do casal.
                      
The New York Spectator
                      
Staff"
                      

Nate encarou o computador por alguns segundos e o fechou, voltando para o quarto para terminar de se arrumar. 
xx
                      
- Ai meu Deus! Você soube? A Blair está de volta!
                      
Serena ouviu Rain, uma ex-aluna da Constance cochichar com outra garota enquanto pegava seu café no balcão da Starbucks.
                      
- Desculpa. Oi. - Serena se aproximou, segurando seu Chai Latte e tentou sorrir. - Blair Waldorf?
                      
Rain e a amiga se olharam.
                      
- Achei que fossem melhores amigas!
                      
- Nós somos. - Serena estufou o peito e as encarou - Onde vocês viram isso?
                      
- No Spectator. Acabaram de postar.
                      
Serena se limitou a dar as costas e vasculhou com raiva sua bolsa em busca do celular.
                      
- Talvez seja mentira, se a própria Serena não sabe!
                      
- Talvez elas não sejam mais tão próximas assim. - cochichou Rain de volta.
                      
- Era mais fácil entender todo esse drama quando tínhamos a Garota do Blog por aqui.
                      
- Mas Serena ainda a tem por perto. - As duas riram.
                      
Serena se virou e ergueu uma sobrancelha, como só uma ex-rainha faria. As garotas pigarrearam e esbarraram uma na outra em direção à saída.
                      
Ela discou nervosamente o número de Nate e foi logo direcionada para a caixa postal.
                      
- Só pode ser brincadeira! - ela rosnou, jogando o celular de volta na bolsa.
                      
xx
                      
Nate mal havia pisado na calçada, quando ouviu buzinas insistentes vindas do outro lado da rua. Ele correu os olhos pelos carros parados no meio-fio e avistou o Volvo prata que Serena ganhou do pai depois de seu casamento.
                      
- Tá aqui há muito tempo? - Nate perguntou, após entrar no carro.
                      
- Tempo suficiente pra ver a modelo loira, semi-nua, deixar seu prédio. Aposto que sei de que apartamento ela desceu.
                      
- Ela parecia brava?
                      
- Ela espumava pela boca. Chutou um cachorro e esfaqueou dois caras.
                      
Nate riu e colocou o cinto de segurança enquanto Serena dava partida.
                      
- A Blair voltou? - Ela arrancou o band-aid, sabia que qualquer resposta machucaria, mas ela precisava saber.
                      
- Sei tanto quanto você!
                      
- Por que eles não nos contariam? - Serena gemeu, as lágrimas enchendo seus olhos. - Não sei o que eu fiz dessa vez.
                      
- Nem sabemos se o e-mail é verdadeiro, Serena. Eles podem estar de frente pra Torre Eiffel nesse momento.  - Nate olhou pela janela, vendo prédios e árvores passarem rápido por eles. - E se for verdade, ela apenas se casou! Está ocupada dando atenção à família dela.
                      
- Eu também me casei, Nate!
                      
- Então deveria fazer o mesmo.
                      
xx
                      
  - Você poderia ter ido até a casa deles. - Dan se espremeu para passar entre duas garotas que saiam do Empire.
                      
- Se ela quisesse me ver, teria me procurado, Dan. Pelo menos telefonado. Eu vou entrar no jogo deles. 
                      
Tocava Kick You To The Curb e cerca de trezentas pessoas se espalhavam pelo salão, conversando muito próximas e esvaziando copos. Serena reconheceu os rostos. A maioria se tratava de ex-alunas da Constance. E olhando com mais atenção, todas elas usavam a marca Waldorf. Era como se estivesse perdida no meio de um culto religioso estranho e pela primeira vez na vida, se sentia inadequada e por fora.
                      
Serena e Dan pararam ao lado do bar e esperaram. Dan estava entediado e louco pra ir pra casa terminar sua nova crônica, mas Serena parecia tão aborrecida e sozinha, que ele concordou em acompanhá-la.
                      
- Serena!
                      
Uma voz familiar, gritou mais alto que a música e Serena viu Lily atravessar o salão tomando uma bebida rosa. Ela usava um vestido champanhe com pedras douradas na altura dos seios e os cabelos recém-aparados soltos sobre os ombros.
                      
- Mãe, o que você tá fazendo aqui?
                      
- Está circulando um boato de que Charles está em Nova York. Não é por isso que vocês vieram?
                      
- Sim. - Serena bufou, fechando a cara. Era horrível estar tão mal informada quanto o resto da cidade. Mas seria ainda ainda pior se a notícia não passasse de uma brincadeira estúpida de alguém que houvesse hackeado Chuck. Se eles pelo menos não tivessem se isolado tanto depois da viagem à França.
                      
De repente as luzes se apagaram e a música Devils da banda Say Hi começou a tocar. As pessoas gritaram excitadas quando luzes coloridas passearam sobre suas cabeças. Era como se uma banda muito popular estivesse prestes a subir ao palco.
                      
As luzes se acenderam e todos olharam para cima, procurando os anfitriões. A música continuava.
                      
- Com licença! - Nate abriu passagem entre dois rapazes que fumavam maconha e se aproximou de Dan.
                      
- Perdi alguma coisa?
                      
- Parece que não.
                      
O mezanino estava vazio. O suspense aumentava e de repente tudo se apagou outra vez. As luzes coloridas dançavam como se também procurassem.
                      
- Você acha que era mentira? - cochichou Nate próximo ao rosto de Serena. 
                      
As luzes se acenderam.
                      
- Não! Isso é tão a cara da Blair. - respondeu ela, atenta a qualquer movimento no andar acima.
                      
Dark, dark, dark. 
                      
E a luz piscou outra vez.
                      
- Ai meu Deus! - um aglomerado de vozes se manifestou.
                      
- São eles! - Serena exclamou, não podendo disfarçar sua empolgação.
                      
Chuck e Blair surgiram juntos, um em cada extremidade, iluminados por dois holofotes azulados e separados por alguns metros de escuridão. Todos aplaudiam e gritavam.
                      
Ela usava um vestido longo, colado e com alças tão finas que mal podiam ser vistas lá de baixo. Seus cabelos estavam presos em um coque elegante com apenas uma mecha solta, que acabava um pouco depois de seu rosto. Chuck vestia um terno cinza escuro sobre uma camisa preta. A gravata azul celeste era exatamente da cor do vestido dela. Os dois se olharam e sorriram um pro outro.
                      
- Ai meu Deus, ele tá tão gostoso! - gemeu Rain ao lado da amiga.
                      
Faltando segundos para a música acabar, a luz piscou outra vez e Henry Bass surgiu entre eles, sorrindo próximo à grade. A multidão ovacionou eufórica, erguendo as bebidas em um brinde coletivo. Henry usava a mesma roupa do pai, em um tamanho dez vezes menor. Serena gritou e ergueu os braços, uivando como todos os outros. Era a primeira aparição pública do novo herdeiro do império Bass e durou apenas dois segundos, até as luzes se apagarem outra vez e os três desaparecerem. Deixando a vaga sensação de que todos haviam apenas alucinado a presença deles. 

Créditos: Tera Macouzet

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Jessica Szohr, ex de Ed Westwick, fala sobre acusações de estupro contra ator

Gossip Girl 7ª Temporada: Ep 02 - Vocês são o que, animais?