Gossip Girl 7ª Temporada: Ep 03 - Fez o que eu te pedi?


Desde pequena você sonhou com o casamento perfeito. Seu príncipe atendia pelo sobrenome Archibald e você tinha tudo minuciosamente arquitetado. Desde as flores, até a lista de convidados. Quem diria que no final das contas, Blair Waldorf, a rainha da Constance, referência de moda para a metade das meninas da cidade, impecavelmente educada e fluente em mais de três idiomas, se casaria com Chuck Bass, o cafajeste, egoísta, inescrupuloso e nada agradável, herdeiro Bass. Parece que a vida reserva surpresas impressionantes para quem sabe esperar. E seis anos após a noite de inauguração do Victrola, onde você mesma tomou a iniciativa, onde você mesma deu o passo até a beira do abismo... Você olhou para baixo, mas mesmo assim saltou. Saltou porque a ideia era tão excitante e perigosa que te fez perder a razão. Seis anos depois, e você sabe que pularia dez vezes se ele pedisse. Você sabe, toda as vezes que olha na escuridão dos olhos dele, que nenhum outro homem, por mais que quisesse, te veria como ele a vê. 
                      

                      
Blair olhou para Chuck conversando reservadamente com Lily do outro lado da sala e se inclinou para Serena.
                      
- Chuck e sua mãe estão agindo estranho. 
                      
- O que? - Serena passou o dedo pela cobertura de chantilly de sua torta holandesa e o chupou.
                      
- Não sei. - Blair estreitou os olhos - Ela parece preocupada pra você?
                      
Serena olhou para Lily encostada na parede com os braços cruzados.
                      
- Parece normal pra mim. - ela deu de ombros e afundou o dedo na sobremesa outra vez. - Estou feliz que tenha voltado. 
                      
Blair bebeu um gole d'água e olhou para ela.
                      
- Agradeça ao Chuck. Ele cuidou de tudo. O ateliê está em ótimas mãos por lá.
                      
- Quem diria que você se casaria antes de mim? 
                      
- Eu diria! - Blair respondeu ofendida. - Qualquer um diria! - ela largou a taça com água dramaticamente e ajeitou o guardanapo de pano no colo. 
                      
- Você não imaginava se casar com Chuck. 
                      
- Você nem imaginava se casar!
                      
Serena olhou para Dan e deu de ombros. Ela o amava, mais do que conseguia demonstrar. Eram de mundos diferentes e ele, ainda que por meios questionáveis, se esforçou para estar com ela. Eram completos opostos, mas com ele Serena tinha uma imagem mais limpa e correta de si mesma. 
                      
Blair beliscou sua cintura quando viu Arthur, o motorista, sair do elevador com um envelope nas mãos e se juntar a Chuck e Lily. Serena afastou o braço de Blair com um tapa e seguiu seu olhar.
                      
Chuck tomou o envelope e caminhou para o escritório de Willian, seguido de perto por Arthur. Blair precisava pensar rápido. Ela olhou em volta e viu Henry derramar calda de amora na camisa. 
                      
 - Senhor Henry! - Dorota se levantou com um guardanapo. 
                      
- Dorota, deixa! - ela gritou, se levantando - Eu cuido disso!
                      
- Senhorita Blair, eu posso...
                      
- Não discute, Dorota! - Blair contornou a mesa e pegou o filho no colo. 
                      
- Tem toalha limpa no banheiro - avisou Lily, quando Blair passou rápido por ela. 
                      
xx
                      
- Fez o que eu te pedi?
                      
- Sim, senhor Chuck. Aqui está o acesso ao Greenwich. 
                      

- Algo mais?
- A senhorita Beverly está bem, senhor. 
                      
- Ótimo! Conto com a sua discrição, Arthur!
                      
- Certamente, senhor. 
                      
- Mamãe, o que você tá fazendo?
                      
Blair desencostou o ouvido da porta e se virou para Henry, que fora sentado sobre o mármore do lavatório assim que se trancaram no banheiro.
                      
- Nada! - ela desenrolou uma toalha e a molhou na torneira. - Vamos limpar isso! Você gostou da torta?
                      
- Gostei.
                      
Blair esfregou a toalha na camisa manchada. Não adiantaria nada e ele se sujaria de novo dali cinco minutos, mas ela gostava daqueles pequenos momentos que podia cuidar dele sozinha, sem precisar de ninguém para lhe dizer como.  
                      
xx
                      
Serena passeou pela casa equilibrando a caneca com chá, enquanto apagava as luzes. Dan estava na cama assistindo a CNN e não se mexeu quando ela sentou ao seu lado. 
                      
- Estou feliz que eles tenham voltado. 
                      
- Mesmo? - Serena puxou e voltou a mergulhar o sachê de matte na água quente. 
                      
- Sim. Quer dizer, você parece mais feliz agora!
                      
Serena baixou os olhos para a caneca e pigarreou. 
                      
- Sou feliz com você, Dan. 
                      
- Mas não é feliz sem eles. 
                      
Serena deixou o chá sobre o móvel ao lado da cama e se virou para ele. 
                      
- São minha família! Vivi metade da minha vida com eles, mas eu seria imensamente incompleta sem você.
                      
Dan se sentiu puxado pela escuridão dos olhos azuis dela. Ele queria se sentir tão essencial quanto ela dizia, mas mesmo um ano após trocarem as alianças, era difícil acreditar que dentre todos os caras de Manhattan, Europa ou de todo o restante do mundo, ela havia escolhido ele. 
                      
- Eu amo você, Daniel Humphrey! - Serena sussurrou. 
                      
Dan afundou os dedos no cabelo dela e a puxou. Serena sorriu e fechou os olhos antes de ter sua boca e suas roupas invadidas por ele. 
                      
xx
                      
- Achei que não fazíamos mais isso!
                      
Serena olhou pra cima, sentada no último degrau do MET. 
                      
- Quer uma cadeira, senhora Bass? Talvez uma poltrona? Quer que egípcios carreguem você naqueles tapetinhos?
                      
- Não são tapetes. Pesquise antes de tentar uma piada inteligente. 
                      
Blair se sentou com seu copo tall de café expresso, puxando um fiapo de linha presa em sua saia.
                      
- Por que alguém precisaria de credencial pra ir até Greenwich? 
                      
Serena abriu a tampa do seu copo e soprou a espuma, tentando pensar em uma resposta que fizesse sentido. 
                      
- Talvez vá acontecer algum evento e você precise de um cartão de acesso. 
                      
Blair a olhou por dois segundos e piscou. 
                      
- Não. Muito simples. Ele não teria porquê me esconder isso. 
                      
- Greenwich... Greenwich... - Serena cantarolou tentando pensar - Greenwich! - Ela balançou o café, fazendo-o respingar em sua bota. - Não é a rua Greenwich. É o hotel!
                      
Blair arregalou os olhos, sentindo a brisa fria os secarem. 
                      
- Na Baixa Manhattan?
                      
- Não consigo pensar em nada melhor! - Serena jogou os ombros pra trás e olhou para Blair - O que mais você ouviu?
                      
- Mais nada. - Ela mentiu. Seria embaraçoso citar o envolvimento de uma mulher que ela ainda não sabia que papel desempenhava. 
                      
Não parecia nada bom, mas Blair não queria que Serena lhe dissesse isso em voz alta. Não seria preocupante até que ela mesma decidisse que era preocupante. 
                      
xx
                      
- Dorota! Estou saindo! - Blair gritou, ajeitando o capuz na cabeça de Henry. 
                      
- Onde a senhorita vai? - Dorota apareceu secando as mãos no avental. 
                      
- Você é a fiscal do passeio agora? - Blair ajeitou a bolsa no ombro e segurou a mão com luvas do filho. 
                      
- O que digo se o senhor Chuck chegar?
                      
- Diga pra ele não se esquecer com quem ele se casou. - ela rosnou.
                      
- Como?
                      
- Diga que eu volto logo! - Blair rolou os olhos e respirou fundo, apertando o sinal para o elevador. 
                      
xx
                      
- Nate! - Serena correu para a calçada antes que uma motocicleta a pegasse. - Oi.
                      
- Serena! - Nate sorriu, guardando o celular no bolso. - Você está ótima! 
                      
- Obrigada! Vamos dizer que tive uma boa noite de sono! - ela jogou o cabelo para trás teatralmente e sorriu - Onde está a Paola?
                      
- Quem?
                      
- A garota que beija as pessoas.
                      
Nate riu e esfregou a mão na testa. 
                      
- Não a vejo desde o jantar. 
                      
- Sua fila está movimentada. - Serena colocou as mãos nos bolsos do casaco, desviando das poças de chuva no chão. 
                      
-  Não sei o que há de errado comigo!
                      
- Com você?
                      
- Você presta atenção nelas? São lindas, engraçadas, tem umas que tem um cheiro tão bom que dá vontade de devorar...
                      
Serena lhe deu um soco no braço e voltou a esconder a mão.
                      
- O que eu quero dizer é que tenho consciência de que o problema não está nelas.
                      
- Você só não encontrou a pessoa que faz sua perna balançar, suas mãos suarem...
                      
Nate respirou fundo e a desviou antes que Serena tropeçasse em um hidrante. 
                      
- Você já, não é?
                      
- Parece que sim! - Serena deu de ombros pouco interessada em se estender no assunto. 
                      
Nate parou e apalpou os bolsos em busca do celular.
                      
- E aí, Chuck! - ele olhou para Serena enquanto escutava. - Agora não dá!
                      
Serena cruzou os braços, esperando. Nate desligou e devolveu o celular ao bolso. 
                      
- O que ele queria?
                      
- Sair pra beber alguma coisa. Não sei. - Ele voltou a andar. 
                      
Serena franziu as sobrancelhas e pegou seu próprio celular. 
                      
Para: Blair
                      
B, você tinha razão. Tem alguma coisa acontecendo. O Nate sabe. 
                      
- Você não vem? - Nate se virou alguns passos a frente. 
                      
Serena correu para alcançá-lo e caminharam juntos por mais algumas quadras, em silêncio.

.FIM DO TERCEIRO CAPÍTULO.

E quem sou eu?
Esse segredo eu não conto pra ninguém.
You Know You Love Me.
Xoxo,

Blair Indelicada.

Créditos: Tera Macouzet

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Gossip Girl - 7ª Temporada: Ep 01 - PILOTO

Jessica Szohr, ex de Ed Westwick, fala sobre acusações de estupro contra ator

Gossip Girl 7ª Temporada: Ep 02 - Vocês são o que, animais?